Quando as mudanças esbarram em TI

it_bloqued

Por André Lima – Diretor de Tecnologia na NAI-IT e aGir Frota,

e-mail: andre@agir-frota.com.br

Você tem uma grande ideia para otimizar algum processo em seu departamento, ou ainda descobre um fornecedor com uma solução que na prática, trará grandes ganhos para sua equipe.

Ao identificar as necessidades e requisitos internos, descobre-se que TI precisa ser envolvido, e agora?

Em outra situação é TI quem encontra uma ótima solução, então precisa convencer a Área de Negócio, e agora?

Muitos são os pontos que podem gerar atraso ou frustrações por conta destas dependências, porém em muitos casos é possível contornar ou minimizar o problema, tendo cooperação e transparência na abordagem dos tópicos em relacionados.


 

Recomendações de boas práticas:

Quando a Área de Negócio solicita o projeto e precisa envolver TI: Envolver TI desde o início é essencial, desta forma TI estará planejado e já contando com esta atividade. Fará o planejamento de suas atividades já com este projeto. Determinar exatamente o que se espera, quais relatórios, em que padrão e qual o resultado final desejado. Muitas vezes a área de negócio não está considerando os recursos homem/equipamento em TI, para suporte às mudanças que estão sendo solicitadas.

Quando TI leva um projeto para a Área de Negócio: Quando a área de TI propõe mudanças que irão gerar ganhos de produtividade, ou redução de recursos entre as áreas TI e a Área em questão, também sofrem com a questão da mudança, pois em geral as Áreas de Negócio não querem mexer em algo que já os está atendendo bem. É importante que a Área de Negócio compreenda os detalhes propostos, pois com certeza terão grande relevância e ganhos reais no médio e longo prazo.

“Cada um no seu quadrado”: Questões técnicas como servidores em nuvem, virtualização, equipamentos e outros, precisam ficar a cargo de TI, pois somente estes possuem o skill técnico para decidir a viabilidade disso na abordagem inicial.

Apresentação: Transmitir corretamente a abrangência do novo projeto/ideia, já que a deficiência de conteúdo ou má condução ao demonstrar o escopo aos participantes, pode ser um entrave natural a sua aceitação.

2 a 3 slides bem planejados são suficientes para apresentar uma boa ideia, desde que eles sejam objetivos e contenham imagens que transmitam algo que as que pessoas tenham familiaridade.

Importância do Jurídico: O envolvimento Jurídico na fase inicial também é importante, pois em alguns casos o projeto pode ser inviabilizado por questões diversas e estas pode simplesmente cancelar tudo que está em andamento.


 

A matéria contou com participação de Douglas Minoru Okamoto de Santana – Profissional com oito anos de atuação em TI, sete em sistema SAP e seis Governança de TI. Com experiência em SAP Security, GRC Access Control, ITIL, COBIT, ITSM, ITGC, SOx, Governança de TI, Infraestrutura de TI, sistemas/integrações, auditoria/compliance e gerenciamento de projetos.

About André Neves Lima

Bacharel em Análise de Sistemas (USF), com extensão em Engenharia de Software (UNICAMP), a mais de 20 anos no segmento de TI com o Mercado Corporativo. Especialista em Integração de Sistemas Legados com ERP SAP, Oracle EBS e outros, para Gestão de Identidade (IDM). Especialista em automação de processos entre Sistemas, com objetivo de prover redução de tickets e consequentemente a redução de custos em TI. Ampla experiência com projetos On Cloud, Linux, atualmente baseado no AWS (Amazon), tem atuado como Gestor de Projetos e equipes utilizando metodologia Ágil (Scrum). Como iniciativa pessoal, tem atuado no estudo da Linguagem Swift Apple para a criação de uma base de APIs, que possa integrar soluções Mobile a Grandes servidores de Aplicação Java, buscando trazer para a computação móvel pessoal, HomeKit e TV, recursos existente apenas no mundo corporativo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *